Como é realizado o Ensaio de Adensamento Unidimensional? - Contenco
21206
post-template-default,single,single-post,postid-21206,single-format-standard,theme-bridge,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,hide_top_bar_on_mobile_header,columns-4,qode-theme-ver-17.2,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive
 

Como é realizado o Ensaio de Adensamento Unidimensional?

Como é realizado o Ensaio de Adensamento Unidimensional?

O Ensaio de Adensamento Unidimensional também é conhecido como Ensaio de Adensamento Confinado ou Endométrico. Seu objetivo é determinar as propriedades de compressibilidade do solo. E isso é feito medindo-se as deformações de um material quando submetido a um carregamento e a velocidade com que essas deformações ocorrem.

No Ensaio de Adensamento Unidimensional o corpo de prova é confinado lateralmente. Assim ele é submetido a sucessivos incrementos de cargas verticais, permitindo-se a drenagem pelo topo e base do corpo de prova.

ensaio de adensamento

Durante a realização do ensaio, o corpo de prova pode também ser inundado ao final de qualquer estágio. Isso possibilita a medição de colapso ou expansão do solo. Ensaios para determinação do coeficiente de permeabilidade à carga variável também podem ser realizados após a inundação e ao final de cada estágio de carregamento. Além disso, pode-se também determinar a expansão do solo pelo alívio das cargas ao final dos carregamentos.

Como é feito o Ensaio de Adensamento Unidimensional?

O Ensaio de Adensamento Unidimensional pode ser realizado em células de anel fixo ou flutuante. Quando se deseja a realização de medidas do coeficiente de permeabilidade, o ensaio deve ser realizado sempre em célula de anel fixo.

Os principais parâmetros que podem ser determinados no ensaio de adensamento são:

  1. Coeficiente de adensamento (CV)

O coeficiente de adensamento pode ser determinado no ensaio de adensamento unidimensional através dos processos de Casagrande ou de Taylor.

O Processo de Taylor é realizado da seguinte forma:

  • Para cada incremento de carga aplicada, desenha-se a curva de adensamento, marcando-se no eixo das ordenadas a altura do CP e no eixo das abcissas a raiz quadrada do tempo;
  • Determina-se o ponto correspondente a 0% do adensamento primário (H0), prolongado a reta definida pelos pontos iniciais de adensamento até o eixo das ordenadas;
  • Traça-se por este ponto uma linha reta com coeficiente angular igual a 1,15 vezes o coeficiente angular da reta obtida no item anterior. A interseção desta reta com a curva de adensamento define o ponto correspondente a 90% do adensamento primário, obtendo, dessa forma os valores t90 e H90;
  • Calcula-se a altura do CP correspondente a 50% do adensamento primário:

H50 = H0 – 5/9 (H0 – H90);

Cv = 0,848 (0,5 H50)2 / t90;

  • Traça-se o gráfico Cv x Log. da pressão média do estágio.

 

2.   Pressão de pré-adensamento

A pressão de pré-adensamento pode ser determinada pelo processo de Pacheco e Silva ou pelo processo de Casagrande.

Realização do Processo de Pacheco e Silva:

  • Toma-se o gráfico “Índice de Vazios x Logaritmo da Pressão Aplicada”;
  • Traça-se uma reta horizontal, passando pela ordenada correspondente ao índice de vazios inicial;
  • Prolonga-se o trecho virgem e determinar pela ordenada correspondente ao índice de vazios inicial;
  • Traça-se, pelo ponto de interseção obtido no item anterior, uma reta vertical até interceptar a curva de adensamento. Por esse ponto, traçar uma reta horizontal, determinando-se a sua interseção com o prolongamento do trecho virgem. A abcissa deste ponto define a pressão de pré-adensamento;
  • Determina-se a pressão de pré-adensamento e o índice de vazios correspondente.

 

3.    Índice de compressão (Cc)

A determinação do Índice de Compressão no Ensaio de Adensamento só é feita caso a curva “Índice de Vazios x Logaritmo da Pressão Aplicada” apresente um trecho retilíneo entre a pressão de pré-adensamento e a pressão final de carregamento (Trecho Virgem). Caso este trecho esteja presente, o Índice de Compressão é realizado da seguinte forma:

  • Toma-se o gráfico “Índice de Vazios x Logaritmo da Pressão Aplicada”;
  • Determina-se dois índices de vazios correspondentes a dois pontos quaisquer do trecho virgem, e1 e e2;
  • Determina-se as pressões associadas aos índices de vazios obtidos no item anterior, log p2 e log p1;

Cc = e1 – e2 / log p2 – log p1

  • No caso de ensaios com inundação, determina-se o coeficiente de colapso estrutural:

i = (índice de vazios antes da inundação – índice de vazios após a inundação) / 1 + (índice de vazios antes da inundação )

Observação:

São classificados como solos colapsáveis aqueles que apresentam coeficiente de colapso estrutural maior que 0,02.

A Contenco Indústria e Comercio Ltda fabrica e comercializa a prensa para realização do Ensaio de Adensamento, modelo Bishop, com capacidade de carregamento de até 1000 Kg; células para corpos de prova com 20, 40, 60 e 80 cm² ou 20, 40, 50 e 100 cm²; e ainda com diâmetro de 2”, 3” e 4”. Além de todos os acessórios necessários para o Ensaio de Adensamento Unidimensional.

O equipamento para Ensaio de Adensamento Unidimensional pode ser fornecido com sistema de medida de deformação de forma analógica ou digital.

No sistema digital, o equipamento possui um painel eletrônico para aquisição dos dados em tempo real. As leituras podem ser armazenadas em memória própria ou serem utilizadas em conjunto com o software Pavitest que acompanha o equipamento. Este software é usado para controle e monitoração do ensaio, com cadastramento de amostras e corpos de prova, traçado de gráficos, armazenamento de dados, emissão de relatórios e exportação dos dados para o Excel.

painel eletronico ensaio de adensamento

Painel eletrônico

exemplo software ensaio de adensamento

Exemplo de gráfico de carregamento do Software Pavitest

exemplo de software de ensaio de adensamento

Exemplo de gráfico de descarregamento do Software Pavitest

exemplo de software de ensaio de adensamento

Exemplo de gráfico de Índices de Vazios X Logarítmo de Pressão – software Pavitest

ensaio de adensamento Contenco Pavitest

Foto: Prensa tipo Bishop, capacidade 500 kgf – digital com software i-1072-f

A PRENSA DE ADENSAMENTO TIPO BISHOP modelo I-1072 F possui capacidade de aplicação de carga de até 1.000 kgf. O sistema de aplicação de cargas é realizado através da colocação de pesos em braço de alavanca, com relação de 1/10, para multiplicação das cargas e obtenção das pressões desejadas.

A Prensa acompanha um Software operacional desenvolvido em Visual Basic para ambiente Windows XP / Windows 7, com banco de dados em access para comando, controle e monitoração do ensaio, com cadastramento de amostras e corpos de prova, traçado de gráfico, armazenamento de dados e emissão de relatórios.

A Contento também fornece os seguintes acessórios para o Ensaio de Adensamento Unidimensional:

  • Célula tipo ortigão de 20, 40, 60 e 80 cm² ou 20, 40, 50 e 100 cm² ou 2”, 3” e 4” de diâmetro.
  • Pedra porosa com 20, 40, 60 e 80 cm² ou 20, 40, 50 e 100 cm² ou 2”, 3” e 4” de diâmetro.
  • Molde cortante (vazador) para moldagem do cp de 20, 40, 60 e 80 cm² ou 20, 40, 50 e 100 cm² ou 2”, 3” e 4” de diâmetro.
  • Dispositivos de acrílico usados para transferência dos cp para a célula.
  • Jogo de pesos de 100kg ou 50 kg.
  • Mesa de aço reforçada com capacidade para duas prensas de adensamento.
  • Tubo graduado para ensaio de permeabilidade.

 

Para saber mais sobre o Ensaio de Adensamento Unidimensional e os produtos e tecnologias Contenco, converse com a nossa equipe! Envie um email contenco@contenco.com.br ou ligue para +55 31 3623-3623 | 31 98878-6968.

Aproveite para seguir a Contenco nas redes sociais e acompanhar as nossas novidades!

Facebook: https://www.facebook.com/ContencoPavitest/

Instagram: @contenco_pavitest

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/contenco/